segunda-feira, 19 de julho de 2010

Comunicação: a arte de se fazer (des)entender...

Eu não tenho formação em jornalismo, tão pouco sou um blogueiro assíduo e compenetrado, muito menos fiz curso na área do marketing e propaganda. Todavia eu tenho certeza que uma mensagem que se quer comunicar não chega às pessoas se não nos preocupamos com o destinatário da mensagem. Seja ele um indivíduo ou a massa.

Para exemplificar uso o exemplo do Telégrafo x Telefone. Se minha mensagem vai através do telégrafo, pouquíssimas pessoas a entenderão, ela vai chegar só em quem está familiarizado com a técnica. Já o telefone, qualquer pessoa que ponha ele no ouvido e tenha capacidade auditiva entende o que o ser do outro lado da linha quer dizer (desde que seja uma língua conhecida... hehe).

Portanto, quando precisamos nos comunicar, devemos nos esforçar para que o interlocutor entenda. Não adianta estressar. Tenho visto muita gente, principalmente líderes de grupos, equipes, ideais, etc, minando sua liderança por não conseguir se comunicar. E não to aqui falando pros políticos, profissionais que tem assessoria de comunicação não. Falo pro povão! Gente como eu e você que, ao não ser compreendido, se sente frustrado ou o que é pior, e acontece na maioria das vezes, desconta este problema na incapacidade do interlocutor.

Que isso gente! A pessoa que recebe nossa comunicação não tem obrigação de entender a mensagem se não sabemos nos expressar. Temos que começar a nos colocar no lugar do outro e pensar: "Se alguém tivesse falando comigo, gostaria que fosse mais claro, que levasse em conta minhas limitações enão que agisse como se eu soubesse tudo quanto ele sabe, inclusive tivesse tradução simultânea no cérebro.

Eu mesmo não sei se essa minha mensagem chegará a todos hehehe. Mas tenho certeza que, depois dessa reflexão, se alguém não entender o que quero dizer, vou procurar desenhar melhor. Sim! A famosa pergunta "Entendeu ou quer que eu desenhe!" é uma desculpa esfarrapada para desviar a atenção da nossa incompetência em nos comunicar.

A comunicação tem um poder que não temos ideia (nova ortografia é sem acento). Nossas relações de sociedade podem sucumbir ou triunfar dependendo do nosso poder de COMUNICAR! Sejamos menos arrogantes e admitamos que, às vezes, não conseguimos dizer o que queremos. A linguagem nem sempre é suficientemente articulada para que comuniquemos com eficácia. Eu mesmo, Às vezes, falo coisas que completam meu pensamento, mas que não fazem sentido nenhum ao interlocutor! Esqueço que ele não lê, ouve ou adivinha pensamentos. E, se for muito claro que o entendimento vai virar desentendimento, procuremos sanar as dificuldades. Um ou outro terá que se capacitar, se esforçar mais, desenhar, enfim, lançar mão de recursos outros que possam tornar mais claro a mensagem que se quer comunicar.

Para terminar, sugiro o curta-metragem SIGNS. É algo impressionante, bem feito e mostra bem o poder que temos ao nosso alcance para nos comunicar. Já dizia um filósofo da minha infância: "Quem não se comunica, se trumbica!" (Medeiros, J.A.B. de, 1978).

Um comentário:

Roney - florear disse...

Comunicar... não seria a chave e um pilar para um mundo regenerado?